VIDA DE MÃE


3 meses de vida – Que grande passo!

Hoje quero falar um pouco sobre os três primeiros meses do Tutu. É incrível como acontece o desenvolvimento nesse tempo, quantas coisas novas, quantas descobertas, quanto crescimento!

É engraçado, na maternidade Tutu era um dos bebês mais tranquilos, não dava um pingo de trabalho, um anjo! Só que quando você vai embora, o efeito tranquilo passa! Acho que as enfermeiras dão alguma coisa para os bebês (hahhaha)!

Fiquei tão feliz por trazê-lo para casa! Foi uma emoção muito grande apresentar o quarto para ele, a casa, os cães, tudo! E parece que ele estava se adaptando super bem... Até a primeira noite... Quanto choro, quanta dor! Não sabia o que fazer! Ele só queria mamar e chorar! Mamou cerca de duas horas e eu desesperada! Foi assim na primeira semana, até a primeira consulta ao pediatra. O médico me acalmou tanto, me explicou tudo, esclareceu toooodas as minhas dúvidas (olha que eu levei até um caderninho com perguntas!). Por isso, é essencial escolher um bom pediatra, um profissional que passe confiança e segurança!
Mas.... mesmo montando uma rotina, Tutu era muito agitado, tinha muita cólica, chorava muito e não dormia bem à noite. Eu fiquei muito exausta, com um sentimento de impotência, chorei bastante... Acho legal comentar, pois muitas mães passam por isso e acabam se entregando podendo chegar a uma depressão pós parto! Eu tive esse medo, mas me agarrei a Deus, pedi muito para melhorar e melhorei!
O tempo foi passando e eu fui me acalmando e acostumando mais com a nova rotina.

No primeiro mês, Tutu era um serzinho que mais parecia um boneco, só mamava, chorava, sujava a fralda e dormia (ás vezes hehe), tudo era reflexo, sua visão era ruim, não havia interação, confesso que ficava meio perdida.
Era tudo mais fácil, dar banho, trocar de roupa, amamentar... Ele era tão pequenino, tão leve e tão passivo que aceitava tudo...
Ele estava ganhando bastante peso e crescendo também! Começou a tomar remédio para os gases mas não apresentou grande melhora...

No segundo mês já percebi uma grande diferença! Aquela carinha de recém nascida já tinha ido embora, ele ganhou novas feições, já estava mais acostumado com a rotina da casa, mas ainda chorava muito!!
Acompanhava com o olhar quando aproximava algum objeto ou o rosto.
É engraçado, mas essa coisa de instinto materno parece funcionar... Criei uma ligação tão forte com ele que apenas com olhares já entendia o que ele queria!
As mamadas ficaram mais regulares, apesar de se reduzirem no tempo (10 minutos apenas), de 3 em 3 horas e apareceu o tal do refluxo!
Seus sorrisos, que no início eram meros reflexos, passaram e ser “de verdade”!!!

 Já dava para perceber certa interação pela maneira de olhar, os movimentos de braços e pernas ficaram bem freqüentes, como se ele descobrisse que tem, mas não sabe o que fazer!
Na metade do segundo mês Tutu começou a “conversar”!!! Quanta emoção!! A partir daí ele só que saber de conversar e participar de tudo! Se alguém fala ele fala também! Presta atenção em TUDO!
 O  terceiro mês é o mais surpreendente! Tudo muda! Tutu dorme a noite toda, fica acordado durante o dia (tira uma ou outra soneca de meia hora...), mama de 3 em 3 horas, quase não tem cólicas, chora só quando está realmente incomodado, conversa feito uma matraca! Aprendeu a dar gritinhos, dá quase gargalhadas, descobriu que é gostoso mastigar a mão! Enxerga tudo! Adora um desenho (mas evito deixá-lo na frente da TV por muito tempo), começou a segurar bem o pescoço! Enfim, já é um moço! Hehehe
Ele pede atenção! Agora tenho que me dedicar muuuuito mais a ele! E é tão gostoso!!!
Dizem que quando o bebê completa 3 meses é o primeiro marco na vida dele e é verdade. Olhar para trás e ver cada coisinha que ele aprendeu, cada mudança que ele obteve, seu crescimento, tudo!

Mamães, curtam cada instante do seu bebê, desde os primeiros dias! Tudo vale muito a pena! Quero muito que ele cresça e tenha outros avanços, mas também sinto saudades daquele bebezinho do primeiro mês, mesmo com os choros!

Filho, parabéns pelos 3 meses! Obrigada por existir! Amo muito você!

2 comentários:

  1. Só fazendo um adendo, depressão pós parto não tem a ver com a mulher "se entregar" ou não ao desespero que quase todas nós vivemos (ou pelo menos assumimos, outras devem passar e não assumir, reforçando aquela coisa de que é super fácil, tranquilo ser mãe e que se vc não se sente assim vc tem problemas, rsrsrs) nessa nova experiência de ser mãe que levará uma mulher a depressão pós parto. A dpp é uma doença, com alterações hormonais, de catecolaminas, etc. Além de situações muito estressantes como nascimento prematuro com risco de morte, eclampsia...
    É uma doença séria e que deve perder esse ar de "mulher fraca, desequilibrada, sem força de vontade" ou qualquer outro rótulo que culpabiliza ou desmerece a mulher com depressão como mãe e mulher.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela colaboração!!! Amigas sábias são sempre bem vindas!!! Bjoss

    ResponderExcluir

Obrigada! Sua participação é muito importante!