VIDA DE MÃE

Meu garotão!

Aqui vos fala uma mãe em crise...
Tá, tá, tá! Exageros à parte, preciso desabafar...
PAREI DE AMAMENTAR! E agora Jesus? O que será de mim? Será que fiz certo? Será que desisti cedo de mais? Ó vida, ó céus!

Falando sério...
Já fazia um tempo que Tutu estava querendo largar o peito e ficar só na mamadeira. Eu sentia isso por que sempre que ele mamava no peito ficava irritado, inquieto e quando eu dava a mamadeira ele se tranquilizava.
Não sei se por falta de estímulo ou algo psicológico, meu leite estava quase secando... Vinha bem pouquinho, mas lá no fundo eu tinha esperança de continuar amamentando até pelo menos ele completar 1 ano.
Fui aquela mãe totalmente contra a inserir alimentos antes dos 6 meses, então sempre dei o peito e dizia que daria até quando Deus permitisse... E Ele permitiu até agora.
Por um lado eu me sinto muito feliz de ter conseguido amamentar até os 10 meses e ver que agora ele está passando para uma nova fase. Ele está crescendo, se desenvolvendo, explorando e aquela necessidade que tinha da mãe (para alimentá-lo), passou.
Por outro lado, bate aquela sensação de impotência, de tristeza por não ser mais aquela que garante o sustento do filho, aquela a quem ele recorre quando vai mamar. É estranho, mas é o que eu sinto.
Tento sempre ver pelo lado positivo da coisa, sempre pensar que são etapas que vão se cumprindo para dar espaço para outras.

Mas, o Tutu não mama mais no peito e isso pra mim foi um grande acontecimento pois sempre ficava imaginando quando e como seria. Chegava a pensar que seria impossível parar de amamentar, aquela ligação forte sabe? Por vezes me pegava pensando nas necessidades do Tutu, de como eu queria que ele se desenvolvesse...
É complexa essa coisa de ser mãe... Um simples fato vira uma história viajante na nossa cabeça não é?
Eu tentei até onde pude para que ele permanecesse no peito, mas comecei a me achar egoísta de mais, comecei a ver que não era o que ele queria.
Ele até poderia querer o peito, mas o leite não vinha, então ele se irritava!

Também precisava tomar alguns remédios (outra situação que estava acabando comigo) e eles interfeririam na amamentação...

Demorei um pouco para digerir a situação e sentar aqui para contar isso para vocês, pois confesso não foi fácil! Foi natural, mas não foi fácil! Com certeza eu sofri mais do que ele nesse processo todo.
Não sei se estou exagerando ou se é mais ou menos assim que as coisas acontecem.

Agora não tem mais aquela comodidade de acordar e já ter o leite pronto! De não precisar lembrar de comprar na farmácia! Ontem mesmo, não me liguei que o leite estava acabando e mesmo passando na farmácia nem lembrei de comprar mais uma lata, resultado? Hoje Tutu não teria leite e o marido teve que sair a noite caçando uma farmácia aberta...

É, um simples fato muda muita coisa...
Meu bebê está crescendo... Que aperto no coração... Que vontade de mandar ele de volta para a minha barriga!

É, eu parei de amamentar...
E pra você, foi ou está sendo doloroso ou mais tranquilo?

Beijos e fiquem com Deus!

2 comentários:

  1. Ah Ju, passei por isso quando a Bi tinha somente sete meses, e várias vezes me peguei aos prantos pedindo perdão a ela por não conseguir mais alimentá-la, por não poder mais oferecer o sustento que ela tanto precisava.... Fiquei mal, fiquei triste e me senti como você, impotente! Amamentar é o ato mais divino criado por Deus juntamente com a gestação, e só que é mãe e já passou por isso sabe o que é desmamar o filho, eu cheguei a tomar um remédio pra ver se descia mais leite, mas infelizmente, nada aconteceu... Graças a Deus hoje a Bi é uma criança saudável e feliz, fui no pediatra e tive a ótima notícia de que ela está na altura e peso certos, o que significa que estamos fazendo as coisas certas... Mas é assim, a gente gera eles, quando eles saem de dentro de nós começam a mamar, um dia param de mamar, um dia eles vão pra escolinha, um dia vão ter outros ídolos que não nós, um dia vão pedir conselhos a outras pessoas que não nós e um dia vão amar outra pessoa e constituir sua própria família... E com certeza a cada passo da vida deles sentiremos dor, porque queremos protegê-los do mundo e não deixar que eles nunca se machuquem, mas não podemos impedir que eles aprendam com os erros deles, não podemos impedir que terceiros atinjam eles, o que podemos fazer? Entregar nas mãos de Deus e orar, porque se Deus não puder cuidar dos nossos pequenos... Ninguém, nem mesmo a super mãe pode...

    ResponderExcluir
  2. É Dayse... Só quem passou sabe né? Mas o jeito é entregar nas mãos de Deus! Pedir que Ele nos capacite para sermos boas referências para fazermos a coisa certa!
    bjoo

    ResponderExcluir

Obrigada! Sua participação é muito importante!

Tecnologia do Blogger.