PARA NÃO PERDER A ESSÊNCIA

Olá pessoal, tudo bem?
Quem me acompanha por aqui ou pelo Youtube já percebeu que eu, como professora da rede pública, passo por bons e maus bocados e que tenho me deparado com situações tristes onde a desestrutura familiar é tão grande que as crianças estão totalmente afetadas e parece que já não se encaixam mais num ambiente escolar, não respeitam a autoridade do professor, não respeitam os colegas, o espaço da escola, as famílias são ausentes e nós ficamos sem saber o que fazer e com isso muitos colegas de profissão estão sofrendo na pele as consequências, muitos entrando em depressão, muitos sendo humilhados, abandonando a profissão, com diversas doenças, com um desinteresse tão grande que não são capazes de dar ao menos um sorriso por dia!
Imagem Google
É claro que eu estou generalizando, mas a situação não está fácil não! Não sei se já cheguei a comentar por aqui, mas li um livro do Augusto Cury (Pais Brilhantes, Professores Fascinantes) onde ele indica que quase 90% da população discente (professores), se passasse por uma avaliação clínica ou psicológica não estaria habilitada a entrar em uma sala de aula! Que o nível de estresse está tão estrapolado que já se tornou um síndrome, a SPA (Síndrome do pensamento acelerado) que eu não vou ficar muito nisso, mas ela é a causadora do estresse, depressão, desinteresse, etc.
Frente a tudo isso eu me vejo lá, no meio desse turbilhão de sentimentos, lembrando que eu sou um feto perto de muitas colegas, que meu caminhar ainda é tão longo que eu não posso imaginar os obstáculos que ainda enfrentarei e por isso não posso nem cogitar desanimar (o que às vezes é difícil)!
Pensando nisso, eu lembrei de um velho livro da época da escola eu uma professora indicou, eu li e algum tempo depois saiu o filme, eu assisti e hoje, formada, professora, tive um estalo de que deveria reler esse livro!
Se vocês estão achando que se trata de um grande livro de literatura, ou algum livro pedagógico dos grandes pensadores da educação, ou mais, um livro de auto-ajuda, estão totalmente enganados.
Vocês podem achar loucura da minha parte (e isso se confirmará pelo nome do livro), mas um livro tão bobinho fez e faz uma grande diferença na minha vida e eu acho que todo mundo deveria ler ou pelo menos assistir o filme para reacender aquela chama, dar um ânimo na vida e lembrar que ela é bela apesar dos pesares!
Chega de bla bla bla, vamos ao que interessa?

Para não perder a essência da vida, da alegria, da felicidade, que tal uma pitada de loucura?
Imagem Google
O livro "Uma Professora Muito Maluquinha!" é hoje meu livro de cabeceira, meu manual pedagógico e minha regra de conduta!
Sim, e isso é tão verdade que até Arthur já sabe sem saber.... Pega o livro olha pra capa e aponta: "Mamãe, mamãe!!!"

Um livro infantil, mas que faz muito sentido quando se busca um!
Uma luz que nos diz que ainda há esperança e que cabe a nós não desistir! Cabe a nós fecharmos a porta de nossa sala e liberar o lado maluquinha dentro de nós!
Não eu não consigo ser ela 100% do meu dia! Eu não sou uma personagem, eu vivo, eu erro, mas erro pensando em acertar como ela, em oferecer a vida como ela ofereceu, em esquecer paradigmas e lembrar que eu estou aqui para ajudar, para possibilitar, para instigar!!!!

Quem conhece a história sabe o preconceito que essa professora passou por ser assim e é isso mesmo que acontece hoje em dia! Se você não se encaixa em nenhum molde, você está fora dos padrões, se você não segue as regras (chatas, burocráticas e ultrapassadas) você está fora!
Hoje não se pode rir alto, correr rápido, conversar, pular, cair e se machucar! Hoje educamos nossas crianças para serem mudos, ouvintes e sem personalidade!
Não podemos ser ingênuos também a ponto de fechar os olhos para a nossa triste realidade, mas acredito que uma pitada de alegria não fará mal algum concordam?

Estou farta disso e podem, daqui em diante, me considerar Uma Professora Muito Maluquinha, obrigada!

Pra você que quer assistir o filme:


Beijos e fiquem com Deus!

2 comentários:

  1. Lindo o post Jú!!!! Lendo seu texto, me peguei pensando em tudo que você disse: Hoje o respeito e o carinho que tínhamos pelos professores da nossa época, estão esquecidos.... Quando vou ás reuniões de classe da minha filha(não perco uma!!!!) cada vez menos pais aparecem. Mesmo a escola se oferecendo á dar uma declaração....E daí a gente vê na carinha das crianças a frustração pelo fato de não ter ninguém da família lá... E vemos no rosto da professora a mesma coisa!!!!! Família e escola devem andar juntos....Quem sabe assim, conseguimos passar para nossos filhos o valor que cada professor tem!!!!Grande beijo!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo Maria!!!!
      Mas eu ainda tenho esperança! Afinal, tenho longos anos pela frente!!!
      BJos

      Excluir

Obrigada! Sua participação é muito importante!

Tecnologia do Blogger.