VIDA DE MÃE - OS PEQUENOS E A ESCOLA: A INVASÃO DAS DOENÇAS

Olá pessoal, tudo bem?
Seu filho entrou na escola e com isso as doenças apareceram? Você nunca precisou se preocupar com a saúde dos pequenos e foi só eles entrarem na escola que as visitas ao médico ficaram mais frequentes e você ficou expert nos famosos antitérmicos e antigripais?

Imagem google
Na minha vida como professora eu já me deparei com essa situação inúmeras vezes, mas agora como mãe estou confirmando essa famosa "teoria" e não gostando nada nada disso!

Arthur nunca ficou doente, doente, e desde que entrou na escola uma gripe vai e vem, a febre ora aparece ora desaparece, ele às vezes fica todo molenga, com a imunidade baixa...

Isso, de certa forma, é normal. Não é uma regra, mas é muito frequente vermos crianças mais doentes após a entrada na escola.

Por que isso acontece?

Eu não sou médica, profissional da saúde ou coisa do tipo, sou apenas uma mãe que é professora também e já viveu isso por diversas vezes.

Muitas vezes, o início da criança na escola é um grande marco em sua vida não apenas pelo fato de começar a frequentar um novo ciclo social, mas torna-se uma grande transformação em toda a rotina dela.

Às vezes a criança frequenta poucos ambientes desde que nasceu, não tem muito contato com outras pessoas e na escola ela passará a ser praticamente outra criança e isso pode causar muitas consequências.

O que também se sabe é que as crianças ainda não possuem o sistema imunológico completamente formado, então estão mais propensas a adquirir doenças.

O fato de estar em contato com várias pessoas é outro agravante pois as formas de contágio da maioria das doenças que elas adquirem é pelo contato com outras pessoas.

O fator psicológico também afeta muito. Toda a mudança que essa nova vida acarreta às vezes confunde a cabecinha da criança e ela acaba externalizando isso com as doenças.

Eu gosto bastante do site da Baby Center e lá tem uma coluna que fala exatamente sobre esse momento:

Em geral, crianças pequenas que frequentam creche ou escolinha ficam sim mais doentes. Nesses ambientes, as crianças estão em contato direto umas com as outras. Por serem pequenas, elas ainda estão desenvolvendo suas defesas através do sistema imunológico, e ficar doente faz parte do processo.
Por isso, na escola ou creche é mais fácil a transmissão de doenças. As principais vias de transmissão nesses ambientes são:

  • por via respiratória, ou seja, pelo ar (principalmente gripes, resfriados, estomatites etc.)
  • por via orofecal, no contato com superfícies contaminadas por fezes (principalmente viroses que provocam vômitos e doenças que causam diarreia)
  • pela pele (como impetigo, molusco contagioso etc).
Nos dias atuais, muitas vezes a única alternativa é deixar a criança em uma escolinha ou creche. Para diminuir o risco de uma criança ficar doente, cabem algumas recomendações no critério de escolha de onde deixar o seu filho:
  • permanência de poucas crianças por sala para que não fiquem muito confinadas;
  • ter boa ventilação, espaço adequado e receber sol;
  • ter revestimentos dos pisos e paredes de fácil limpeza;
  • os funcionários que cuidam das crianças devem ser bem treinados e orientados, e com a carteira de vacinação em dia, incluindo, de preferência, a vacina sazonal contra a gripe;
  • haver comunicação clara e transparente entre a escola e os pais;
  • ter como orientação não deixar crianças doentes frequentar a creche ou escolinha;
  • ter supervisão pediátrica, para orientar funcionários e solucionar problemas de saúde que possam surgir. Não é necessário ter pediatra de plantão, a não ser que seja uma escola com um número muito grande de crianças;
  • ter alguém preparado para cuidar de machucados, cortes e doenças simples, de preferência um profissional treinado na área de enfermagem, ou pelo menos alguém que tenha noções de primeiros socorros.
  • analisar se os cuidados recebidos na creche são os mais próximos possíveis daqueles recebidos em casa.
Lembre-se também de manter a vacinação da criança em dia. E faça todo o possível para não mandar seu filho doente para a escola, para ele não contaminar as outras crianças e não correr o risco de pegar uma coisa diferente, já que estará meio debilitado.

Dr. Paulo Sérgio de Barros Ferreira
Fonte - site Baby Center - clique aqui

Portanto, é normal isso acontecer, só temos que ficar sempre atentos aos primeiros sinais de que algo não está normal, procurar ajuda médica e tratar o que quer que seja e sempre avisar a escola pois no caso de doenças contagiosas, outras crianças ou funcionários podem correr risco!

Espero que tenham gostado!
Beijos e fiquem com Deus!

5 comentários:

  1. Passei por tudo isso quando coloquei minha filha na escolinha..... Meu DEUS, como ela ficava gripada... Até um princípio de pneumonia ela teve..... Eu quase morri..... Mesmo levando no melhor hospital infantil da região, nunca nenhum médico me disse isso, que quando elas iniciavam a vida escolar, estavam propensas a este tipo de doença......
    Amei o post, porque com certeza tem muitas mães passando pelo mesmo problema....
    Mas sabe o que percebi???? Com o passar do tempo, tudo isso vai acabando.... Ou seja, elas não ficam mais tão doentes, as gripes deixam de ser frequentes..... Graças á DEUS né??????
    Adorei Jú..... Beijos!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Maria, é uma situação nova para eles e que indiretamente afetam na saúde dos pequenos!
      Obrigada querida!!
      Então, eu acredito que seja por conta da imunidade deles que vai se fortificando, as defesas vão aumentando e eles param de ficar tão doentes!!!

      BJãoo

      Excluir
  2. Poxa qui em casa foi assim também.. 2 meses doente.. Garganta, ouvido, tosse.. Agora melhorou graças a Deus.. Sabia que eu nunca tinha pensado nisso, o psicológico influência bastante! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! A gente nunca relaciona uma coisa com a outra né?
      Bjoss

      Excluir

Obrigada! Sua participação é muito importante!