VIDA DE MÃE - AMAMENTAÇÃO

Olá pessoal, tudo bem?
Hoje vim falar com vocês sobre amamentação!
Logo que comecei o blog fiz um post detalhando tudo sobre a amamentação. Estava relendo e quis repostá-lo para vocês!
Eu fiz apenas um pequeno update e deixei ele mais atualizado, mas é praticamente o mesmo! O original está aqui!
Vamos conferir?

Muita gente acha que amamentar é apenas instintivo, por isso, muitas mães que não conseguem amamentar na primeira vez acabam desistindo, achando que são incapazes. O leite acaba secando e o bebê deve passar a tomar fórmulas (leite em pó) o que pode gerar cólicas, etc. O ato de amamentar requer muito aprendizado também!
Algumas mulheres realmente não conseguem amamentar por não ter leite, ou por ele empedrar gerando a mastite (inflamação nos seios), ou por qualquer outro problema. Daí sim, o bebê deve tomar o leite em pó!
Assim que o bebê nasce, a enfermeira checa se a mãe está produzindo leite e assim que o bebê chega ao quarto ele é estimulado a pegar o peito.
Mas quando a mãe produz leite, ela DEVE amamentar! Sem medo e preocupações! Gente, é a melhor experiência que eu já tive! É a criação de um vínculo enorme! Um momento só seu e de seu bebê! Um momento em que você é a única que proverá! Um sentimento de poder! É muito bom!
NÃO EXISTE LEITE FRACO!!! Todo leite materno é pronto e perfeito para satisfazer o bebê. É o alimento mais completo que ele pode ter, por isso é unicamente suficiente por vários meses.
Quanto mais o bebê suga, mais o cérebro da mãe é estimulado a produzir leite, através dos hormônios prolactina e ocitocina que produz e provoca a saída do leite, respectivamente.

É importante que o bebê pegue certinho no peito, para evitar machucados. A boca do bebê deve pegar a maior parte da auréola possível. Se ele estiver produzindo barulhos ou covinhas durante a mamada, pare e recomece o processo.
As características do leite mudam durante a mamada. No início é um leite mais rico em vitaminas, água, proteínas e sais minerais, que saciam a sede do bebê. Posteriormente vem o leite mais rico em gordura que saciam a fome do bebê.
A minha experiência foi muito boa (e está sendo!)! Antes do Tutu nascer, morria de medo de não ter leite, ou de ele ser fraco, que iria doer muito, criava várias minhocas na cabeça!
Eu estava produzindo bastante leite. Fiquei mega feliz sabendo que poderia amamentar, mas continuei com medo, pois não sabia como fazer direito. Tutu não pegou o peito no dia em que nasceu (ele nasceu às 12:40 e não pegou peito até a madrugada!!!). Fiquei assustada, pois me disseram que ele teria que pegar, pois precisava se alimentar (eu não queria ter que dar mamadeira tão cedo!!!). Quando deu meia noite tentei novamente e senti a melhor sensação do mundo! Ao ver a carinha dele saciedade! Ele conseguiu mamar! Pronto agora ficou fácil...
Durante o dia comecei a sentir meus seios doerem, ficarem duros, sentia dor... O leite estava ficando armazenado por muito tempo e ele corria o risco de empedrar. Comecei a deixar ele mamar mais e resolvi a questão... E outra surgiu: a dor nos mamilos! Senhor, que dor era aquela! Eu juro que achei que não ia suportar! Por um minuto pensei em desistir! Sim, rachou e saiu sangue (não fiquem com medo, isso pode acontecer sim, mas não desistam), mas encontrei a solução com uma pomada milagrosa chamada LANSINOH

Me deram no hospital, pois eu não agüentava mais! Durante a primeira semana em casa continuei com um pouco de dor, mas passando a pomada depois de cada mamada (e não precisa limpar, ela é natural!!) a dor passou!
Existe outra pomada maravilhosa, que se chama Lanidrat! Super recomendo também!

Hoje não uso mais nada, não tenho mais nenhum machucado, não dói NADA e é um momento maravilhoso!
Tutu e Eu!!

O local para amamentar é super importante! Confesso que nem sempre eu amamento na cadeira de amamentação, à noite dou na cama mesmo, às vezes estou na sala, ou em outro lugar, mas o ideal é amamentar na cadeira certa, de preferência com a almofada (uma ajuda e tanto!). As costas podem começar a doer se você ficar em uma posição desconfortável! Mesmo em outros lugares, procure uma posição confortável, pois você ficará nela por vários minutos!!! Para se distrair, você pode ficar na frente da TV, lendo um livro, ou conversando com seu bebê!!!

O bebê também deve estar confortável! Com a barriguinha encostada na barriga na mãe, deitado a mais ou menos 45 graus e a cabecinha no cotovelo da mamãe, ou n posição de cavalinho, sentado na perna da mãe. Nunca amamente seu bebê deitado, pois ele pode se engasgar!!!!


Não se esqueça de colocar o bebê para arrotar! Depois que ele mamar, coloque em uma posição vertical por 10 minutos. Se ele não arrotar coloque-o deitado inclinado para ele não sufocar caso o leite volte, pois é comum acontecer o refluxo e\ou a regurgitação. Mantenha uma alimentação balanceada e evite regimes.

Agora com o Matheus, resolvi adotar a livre demanda, ou seja, ele mama quando ele quer!Tem dado super certo e ele está criando uma rotina própria de mamadas! Geralmente elas acontecem de 2 em 2 horas ou de 3 em 3! Quando ele mama muito rápido, sei que logo vai pedir novamente, então procuro sempre ver se quando ele chora não é por qualquer outro motivo (frio, sono, fralda...) e se for amamentar, sentar e ficar tranquilamente o tempo que ele quiser! Quando não dá, ofereço novamente após um tempo.

Dessa vez també, diferente da primeira, com o Arthur, eu não parei de comer nada por conta da amamentação, apenas cortei o refrigerante! Monhas teorias sobre a cólica estão mudando então acredito que não precise parar de comes nada! E tem dado certo! Matheus pouco reclama e geralmente não é de dor!
Enfim, amamentar pode não ser fácil no começo, mas é um ato de extremo amor! Se você pode, amamente!

Beijos e fiquem com Deus!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada! Sua participação é muito importante!