MINHA HISTÓRIA DE AMOR - PARTE 2

Eu fui para o noturno em agosto, na primeira semana do mês.

Os dias foram passando e eu acabei me identificando demais com aquele período! Além de fazer amizades muito mais facilmente, as conversas, a maturidade era outra. Quem estava ali queria mesmo estudar e as aulas eram muito boas!

Me tornei uma ótima aluna, extremamente interessada em aprender. Tanto que em poucos meses consegui recuperar minhas notas!

Eu e o Marquinhos, que agora chamava Marco (enfim descobri seu nome) nos tornamos amigos e sentávamos sempre perto. Eu me sentia bem ali.

Naquela época eu estava namorando! Pois é, eu não contei essa parte!

Eu estava em um relacionamento um tanto quanto conturbado. De idas e vindas, desentendimentos, incertezas... Mas eu estava com uma pessoa. E pelo visto, as coisas estavam caminhando para melhorar. Ele cogitou me pedir em namoro, de verdade, pra valer e eu não sabia se ficava feliz, por enfim ele parecer ter tomado jeito, ou angustiada por estar, quem sabe me aproximando do Marco!

Ô fase não é mesmo?

Vinte e poucos dias se passaram desde a minha entrada no noturno e desde então, mesmo o Marco se fazendo de difícil (muito difícil), minha amiga me dizia que não tinha chance, que ele gostava de outra menina e não era um garoto de sair ficando...

Mas a gente se dava tão bem...

Um dia ele me perguntou:

- Vem cá, você namora?

- Sim! Mas não é um namoro, namoro...

- Que pena... por que você não termina?

- E por que eu deveria?

- Ah sei lá, quem sabe?

E naquele dia eu liguei para o meu "namorado" e terminei com ele! Pois é! Ele atendeu todo feliz me dizendo que queria me encontrar pois ia comprar nossas alianças de compromisso. E eu disse que ele não ia. Que não estávamos mais juntos.

Foi muito mais fácil do que eu imaginei!

Mais alguns dias se passaram, mas o Marco começou a me enrolar. Eu estava realmente achando que ele não queria nada comigo além de amizade, que minha amiga estava certa. Ele gostava mesmo de outra pessoa.

Quer saber, pensei, eu também não quero nada sério! Acabei de sair de um relacionamento maluco e não quero me prender a ninguém!

Mesmo que a gente fique (nossa há quanto tempo não uso esse termo!!!), eu não quero nada sério! Só quero enfim matar a curiosidade de ficar com ele, depois de tanto tempo!

Me lembro que a gente sentava perto e parece que nossas mãos faziam questão de se tocar! Não era possível que ele não estava sentindo nada! Será que eu é que era tão ingênua?

Dia 24 de agosto, um domingo, fui ao cinema com a melhor amiga (aquela que viu o Marquinhos e achou gatinho) e fiquei falando que eu não aguentava mais esperar ele vir falar comigo.

Adolescente é muito apressado né? Eram só 24 dias de amizade!!!

Na segunda feira, dia 25, a aula acabou no horário normal. Um amigo (um daqueles que estava na porta e quase me engoliu com os olhos no meu primeiro dia!) veio falar tchau e me deu um beijo na bochecha. Meu outro amigo (o que se tornou meu irmão) me deu tchau e foi me beijar no mesmo lado.

- Ai pera, não! O Cabral te beijou aqui, deixa eu beijar o outro lado!

E foi embora.

Eu e o Marco saímos por último e fomos em direção ao elevador.

Ele me encostou na parede e disse:

- O Cabral te beijou aqui, o Orlando aqui. E eu?

Naquele momento eu fiquei tão nervosa que nem percebi  se a cantada era boa ou não!

Só consegui dizer um singelo - "não sei..."

E ele me beijou!

Eu nunca vou esquecer daquele beijo!

O elevador chegou, descemos e fomos até a saída.

Vi o carro da minha mãe chegar, demos um último selinho e eu fui embora.
No dia seguinte eu fiz questão de chegar mais cedo na escola, assim, quando ele chegasse teria que tomar alguma atitude ao me ver!

Estava conversando com uma amiga e ele entrou na sala. Veio e me deu um selinho.

Ufa!

Começamos a ficar.

Eu não queria me envolver muito pois havia prometido "curtir" e não me relacionar sério.

Mas eu estava gostando demais daquele menino! Eu só pensava nele!

18 dias se passaram.

Nenhum comentário:

Obrigada! Sua participação é muito importante!

Tecnologia do Blogger.