RESPEITAR A VONTADE DE QUEM?


Você já escutou a seguinte frase:
“Na hora do parto temos eu respeitar a vontade da mulher! O corpo não é dela? Ela que faça o que bem entender!”
Toda vez que eu leio ou escuto isso, me bate uma dor no estômago e uma vontade de sair gritando: temos que respeitar a vontade de quem????? 

Peraí gente, tem alguma coisa errada na concordância dessa frase!
Já peço desculpas para quem não concorda comigo, mas depois de tanto matutar, senti que precisava falar. Pois às  vezes a gente fica bitolada com o que as pessoas e as mídias nos bombardeiam, que esquecemos de ver o que realmente importa, a essência!
Nós temos que respeitar sim a mulher, é algo óbvio pois ela está gerindo uma nova vida, está se preparando para o momento mais mágico de sua vida, para viver uma transformação imensa em sua vida, por isso, independente do tipo de via de nascimento, ela deve receber um tratamento digno, HUMANIZADO!
Mas no momento do parto, na hora H, quem deve ser o maior respeitado é o bebê minha gente! É ele quem vai dizer para a mãe e médico quando e como deve nascer!

Por isso, decidi citar alguns alguns fatos que podem fazer você refletir sobre isso:
*Quem busca conhecimento entende com naturalidade o ato de parir
De uma vez por todas acho que precisamos acabar com a cultura do parto como um evento médico. Parir faz parte da natureza do ser humano. E hoje o que mais temos por aí são boas informações! Sem falar de estudos e mais estudos sobre gestação e parto, existem também grupos, blogs e diversos canais que nos fornecem informações de qualidade.
*Uma mulher empoderada perde medos e preconceitos
A partir do momento que a mulher entende seu corpo como um templo que deve ser respeitado pois abriga OUTRA vida, entende que pode e deve ser bem tratada, independente de suas condições financeiras (e eu tenho ótimos exemplos de atendimentos públicos!), sendo assim, ela se empodera desacreditando de muita coisa que lhe diziam ou que a obrigavam fazer!

*Bom pré natal é essencial

A mulher precisa ter um bom acompanhamento. Precisa de profissionais que lhe passem segurança e verdade. Que a respeite e cuide dela. Qual mãe se sentirá segura e feliz com um atendimento precário e desrespeitoso?
Imagem retirada da internet

*Vivemos em uma cultura cesarista

Infelizmente nós ainda vivemos em uma cultura mergulhada no egoísmo do ser humano, onde médicos visam lucro, rápido e fácil. Meu primeiro médico me disse que hoje em dia quase médico nenhum sabe fazer um parto normal! (Oi?) Que o melhor é ter tudo com hora marcada, para garantir vários partos por dia, sem se preocupar com mulheres gritando, dias e dias perdidos esperando o bebê nascer... Pois é... A nossa cultura impede (ou tenta impedir) que pensemos de outra forma.

*Parir é coisa de bicho!

Essa eu escutei muito! Pra que ficar gemendo de dor feito bicho? Por que meu filho merece nascer da maneira que ELE quiser! Porque parir é natural do ser humano, isso faz parte da nossa constituição e ponto final! Coisa de bicho sim, somos todos bichos! Agora, feio é desmerecer mãe que quer parir, desrespeitar mãe que precisou de uma cesárea, xingar mãe que não amamenta, denegrir a imagem de uma pessoa!

*Viver a experiência

É impressionante, mas o fato é real: Se você perguntar para uma mãe que escolheu uma cesárea ela vai te dizer “Ah mas comigo foi tudo tranquilo e eu escolheria mil vezes!” Uma mãe que passou pelas duas experiências vai te dizer “olha, com todos os trancos e barrancos, eu prefiro o parto normal com certeza!”. A partir do momento que você vive essa experiência, você entende as dores, os perrengues, o cansaço...

Entendam: Não estou aqui para julgar ou dizer o que é certo ou errado, mas precisamos para pensar um pouco... Carregamos uma vida e ela deve ser a maior respeitada de toda a história!

Busque informações, empodere-se mulher!

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada! Sua participação é muito importante!