CRIANDO FILHOS DIFERENTES

Como vocês já sabem, sou filha única.
Sempre tive em minha mente que quando fosse mãe, teria pelo menos dois filhos e que faria questão de criá-los de maneira igual, afinal, mães não dão prioridade para um ou outro. Filho é tudo igual, filho é filho e ponto!

Aí chega Matheus, meu segundinho, me provando de todas as formas que eu estava totalmente errada!
Na verdade essa história começou um pouco antes de ele chegar. Enquanto eu estava grávida, eu e meu marido fizemos um curso na igreja para pais e um dos capítulos abordados falava exatamente sobre as diferenças entre os filhos e que nós devemos estar atentos a elas e nunca igualar um filho ao outro.

Aquilo ficou em minha cabeça e eu comecei a reparar como eu lidava com isso sendo professora, afinal são 35 "filhos" e cada um deles tem uma personalidade, um jeito, uma maneira de viver e apesar de dentro da sala termos de ter um certo padrão, o meu olhar deve ter uma especificidade para cada criança e ajustar a minha metodologia para as necessidades delas.

Pois então Matheus vem e logo de cara percebo "como ele é diferente do Arthur". Seu aspecto físico já é bem marcante! Bem loiro, pele quase transparente. Já Arthur chegou ao mundo mostrando seus fartos cabelos pretos e hoje nos causa "inveja" com o bronze que fica depois de um dia de piscina.
Só por aí eu já tenho que lidar com eles de uma maneira diferente!

Aos poucos os dois foram mostrando suas personalidades e apesar de saber que ainda são muito pequenos para eu afirmar como é o jeito de cada um, eu posso dizer com toda certeza: Eles são muito diferentes!

Arthur é mais introvertido, gosta de jogos, desenhos, atividades no caderno, ama sua bateria, gosta de um filme de vez em quando, não é de conversar muito, prefere guardar seus sentimento (o que estamos tentando mudar). Na roda de amigos é aquele que pode apanhar mas não revida, deixa o colega tomar o seu lugar na brincadeira e não gosta de conflitos.


Matheus é movimento puro! Sobe, desce, pula, gira, grita, corre! Ficar montando quebra-cabeças não é sua praia. Ao invés de filmes, prefere clipes musicais. Demorou a falar mas agora não passa aperto! Quer fazer xixi, arruma um canto, quer comer pede, está cansado fala, não gostou grita. O amigo brigou, ele briga de volta. Não leva desaforos! É mais individualista, não curte dividir as coisas, quer tudo para si, naquela hora, do seu jeito!



Dois meninos, nascidos da mesma mãe, morando na mesma casa, orientados pelos mesmos pais!
Mas são duas pessoas diferentes e sempre serão! 

Até gêmeos idênticos, univitelinos, são diferentes!


O que eu aprendi com tudo isso é que devemos sempre respeitar a individualidade de cada filho! Não adianta tentar das a mesma educação para os dois. Para um, ficar "de castigo" no quarto pode ser ótimo, ele aproveita para relaxar, ficar longe do irmão "pentelho".  Já para o outro, 5 minutos pensando é um martírio!
Um é comilão e o outro não. Como forçar os dois a comerem a mesma quantidade?
Um ama carinhos e o outro prefere só um colo sem muitos apertos e é preciso respeitar isso!

Nossa função é observar, procurar entender e adequar a nossa rotina a essas especificidades, sem é claro abrir mão daquilo que já vivemos, pois filhos devem vir para preencher e participar, não para serem o centro e nos fazerem mudar a vida em função deles.

Se você tem mais de um filho, comece a observar como os trata. Repare se esta tentando ser a mesma mãe (ou pai) para os dois. Se a resposta for sim, PARE! Você não precisa ser assim! Para cada filho, uma maneira de lidar, lembre disso!

E que fique claro! O AMOR de uma mãe (ou pai) não muda de um filho para o outro! Tenhamos um ou 10 filhos, para cada um temos a certeza de que daríamos a vida se fosse preciso! O que muda é a maneira de lidar, são as ações com cada um deles!

Por aqui tenho aprendido e reaprendido os conceitos da maternidade e isso é uma delícia!

E você, como lida com a criação de seus filhos?

Beijos e fiquem com Deus!

Nenhum comentário:

Obrigada! Sua participação é muito importante!

Tecnologia do Blogger.